Esclarecendo as relações filogenéticas e diversificação dos bivalves da Superfamília Mytiloidea(Mollusca:Bivalvia:Pteriomorphia

Nome: Gabriel Bautz Dalbem
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 30/06/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Valéria Fagundes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cecília Waichert Monteiro Examinador Interno
Roberta Paresque Suplente Interno
Teofania Heloisa Dutra Amorim Vidigal Examinador Externo
Valéria Fagundes Orientador
Vilacio Caldara Junior Suplente Externo

Resumo: A superfamília Mytiloidea Rafinesque, 1815 foi descrita originalmente com apenas uma família: Mytilidae Rafinesque, 1815. Posteriores revisões da classificação original sugerem que Mytiloidea possa ser subdividida em mais de uma família. Entretanto, não existe, até hoje, consenso sobre a organização interna dessa superfamília, bem como testes filogenéticos para entender a relação dos clados representantes. Nesse sentido, buscamos através de ferramentas moleculares testar e revisar a validade das classificações dentro de Mytiloidea, utilizando um marcador mitocondrial (COI) e dois nucleares (ITS1 e 18s) para inferir as relações evolutivas entre os grupos de Mytiloidea. As inferências filogenéticas recuperam o monofiletismo de Mytiloidea. Os agrupamentos sugeridos pelos estudos morfológicos previamente sugeridos para as famílias e subfamílias de Mytiloidea foram recuperados como parafiléticos. Baseado nas relações evolutivas recuperadas no presente estudo propomos que Mytiloidea é composta por duas famílias: Mytilidae e Modiolidae, sendo a primeira dividida em sete subfamílias (Mytilinae, Perninae, Brachidontinae, Septiferninae, Crenellinae, Dacrydiinae e Lithophaginae) e a segunda em quatro (Modiolinae, Bathymodiolinae, Limnoperninae e Aulacominae). A divergência entre as duas famílias é de 37%. Entre subfamílias de Mytilidae variaram de 16-42%, e entre as subfamílias de Modiolidae variaram de 9-25%. Mytiloidea é um grupo muito antigo, o que possivelmente contribui para o acumulo de muitas mutações e consequentemente para os altos valores de divergência encontrados. Diversas características dentro do grupo são tratadas como sendo fruto de convergências evolutivas, o que ao longo do tempo gerou classificações inconsistentes dos grupos internos. Sugerimos aqui que algumas dessas características tratadas como convergências, são retenções de caracteres ancestrais. A partir da visão filogenética proposta aqui, uma nova visão da história evolutiva de Mytiloidea po

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910