Polimorfismos e Herança das Regiões Organizadoras de Nucléolos: Analisando Parentais e Descendentes em Akodon Cursor (rodentia).

Nome: Débora De' Nadai Dalvi
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 29/06/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Valéria Fagundes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Gustavo Rocha Leite Examinador Interno
Marcela Ferreira Paes Suplente Externo
Roberta Paresque Suplente Interno
Valéria Fagundes Orientador
Vander Calmon Tosta Examinador Externo

Resumo: No presente trabalho avaliamos o grau de polimorfismo das regiões organizadoras de nucléolos marcadas pela prata (Ag-RONs) em 65 indivíduos de Akodon cursor, provenientes de quatro populações brasileiras (São Paulo, Espírito Santo, Bahia e Pernambuco). Análises de hibridação in situ com sonda ribossomal confirmaram presença do gene em quatro sítios cromossômicos na espécie:1pT, 1+3i, 4qT e 5qT. Por outro lado, dois sítios mencionados na literatura como portadores de Ag-RONs (6pT e XpT), embora marcados pela prata, não apresentam genes ribossomais, mostrando que a marcação de prata nesses sítios não é devido à atividade do gene ribossomal, mas à presença de heterocromatina constitutiva, pondo em xeque a viabilidade da técnica em identificar regiões de RON. Também foi observado que ausência de marcação pela prata em sítios confirmados de RON podem indicar inatividade gênica, devido à confirmação da presença do gene pela FISH, ou ainda, ausência do gene ribossomal nos sítios 1pT e 1+3i. Foi verificado: não conservadorismo intertecidual, onde o padrão de frequência de marcação de Ag-RON nos sítios portadores entre os tecidos baço e medula de mesmo indivíduo foram significativamente diferentes; conservadorismo sexual, não sendo encontrada variação significativa entre as frequências de atividade ribossomal por sítio entre machos e fêmeas de mesmas populações; que não há relação entre atividade ribossomal e o par cromossômico ou ainda com sua morfologia, uma vez que testes de correlação não mostraram-se significativos. Entretanto foi observada grande variação interindivíduais numa mesma população, o que não impossibilitou a existência de padrões de frequência de atividade ribossomal diferenciáveis entre as populações da Bahia, Espírito Santo e São Paulo, mostrando-se um bom marcador populacional. A análise de indivíduos gerados de cruzamentos experimentais intrapopulacionais indica manutenção do padrão de atividade da população parental na prole, e em cruzamentos interpopulacionais, foi observada dominância do padrão de atividade ribossomal de uma população parental sobre outra, independente do sexo deste parental, mostrando que apesar do padrão de frequência de atividade ribossomal ser um caráter herdável, sua herança não segue um padrão mendeliano.
Palavras chaves: Ag-RON, FISH, polimorfismo de presença gênica, marcador populacional, herança.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910