Persistência do muriqui-do-norte, Brachyteles hypoxanthus, em fragmentos de Mata Atlântica

Nome: ARTHUR MACHADO GONÇALVES
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 28/09/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Sérgio Lucena Mendes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andressa Gatti Examinador Externo
Danielle de Oliveira Moreira Suplente Externo
Karen Barbara Strier Examinador Interno
LUANA DAVILA CENTODUCATTE Suplente Externo
Luiz Fernando Silva Magnago Examinador Externo
MARIA CECILIA MARTINS KIERULFF Examinador Externo
Sérgio Lucena Mendes Orientador

Resumo: A perda de habitat nas florestas tropicais pode causar a
fragmentação, declínio e isolamento populacional de espécies.
Esse processo acarretou na redução de quase 90% da cobertura
original da Mata Atlântica brasileira e, associado a outros
fatores, permitiu que o muriqui-do-norte (Brachyteles
hypoxanthus) estivesse entre os primatas mais ameaçados de
extinção em todo mundo. Desde 2002, estamos monitorando
populações de muriquis-do-norte na região centro-serrana do
estado do Espírito Santo (ES). Além de estudos populacionais e
genéticos, temos estudado a ecologia da paisagem, buscando
entender como populações isoladas de primatas podem sobreviver
em regiões tão heterogêneas e fragmentadas. Nossos dados
indicam que a população consiste de, pelo menos, 120
indivíduos distribuídos em 13 fragmentos florestais no
município de Santa Maria de Jetibá. Usando parâmetros da
paisagem e fragmentos com a presença da espécie, modelamos
quais seriam os fragmentos adequados para sua persistência.
Verificamos que a espécie está presente apenas em parte dos
fragmentos considerados adequados. No presente estudo
investigamos, portanto, se a presença/ausência da espécie
está condicionada a parâmetros estruturais dos fragmentos e da
paisagem. Usamos testes de regressão logística, teste t e teste
U de Mann-Whitney para comparar esses parâmetros de fragmentos
habitados por muriquis e fragmentos “adequados” não
habitados pela espécie. Nossos resultados mostraram que a altura
e diâmetro das árvores, quantidade de árvores caídas/mortas e
cobertura de mata inicial no entorno são diferentes nos dois
grupos de fragmentos e ajudam a explicar seu padrão de
ocorrência. As variáveis analisadas, mesmo as não
significativas, obtiveram valores muito semelhantes aos valores
das variáveis medidas em outras localidades de ocorrência da
espécie. Isso indica grande similaridade entre fragmentos não
habitados por muriquis e fragmentos habitados por muriquis em
Santa Maria de Jetibá e outras localidades.
Palavras-chave: habitat, ocorrência, primatas

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910